Dra. Mariana Tanaka

Obesidade infantil

Atualmente, cerca de 80% das crianças e adolescentes obesos se tornam adultos obesos, mas essa previsão pode e precisa ser mudada.

A Obesidade e Sobrepeso são situações onde existe excesso de tecido gorduroso, sendo que a diferença entre elas está na intensidade desse excesso.

Uma maneira prática para sabermos se uma criança está acima da faixa de peso saudável é através do índice de massa corporal (IMC). Existem curvas de IMC para meninas e meninos e os valores de IMC que definem peso adequado, sobrepeso e obesidade são diferentes para cada idade. O pediatra que acompanha seu filho deve preencher essas curvas a cada consulta.

A obesidade nessa faixa etária pode causar elevação dos níveis de gordura e de açúcar no sangue (predispondo alguns a um risco maior de diabetes tipo 2), aumento da pressão arterial, dores nas pernas, maior risco de fraturas ósseas, problemas de relacionamento social e até depressão.

É comum os pais pensarem que o excesso de peso da criança decorra de algum problema hormonal ou pela predisposição genética. Contudo, na maioria das vezes ele resulta de hábitos alimentares inadequados e sedentarismo. Cerca de 60% das crianças e adolescentes brasileiros tem menos de 3 horas de atividade física por semana.

Para que a criança tenha um adequado ganho de peso são importantes cuidados desde o nascimento:

alimentares saudáveis, como não pular refeições em especial o café da manhã (com excesso compensatório nas refeições seguintes), comer frutas e sempre ter verduras e legumes no almoço e jantar;

Para garantir a saúde e detectar precocemente um inadequado ganho de peso e evitar a obesidade, todas as crianças e adolescentes devem manter visitas regulares ao pediatra durante toda a fase de crescimento.

Fonte: Sociedade Brasileira de Peditria/ Departamento de Endocrinologia

feito com