Dra. Mariana Tanaka

Hipertensão arterial

Aproximadamente 5% das crianças e adolescentes apresentam hipertensão arterial (HA). Apesar de muitas vezes ocorrer de forma silenciosa, isto é, sem manifestar sintomas, os efeitos desta HA podem começar na infância. Medidas rotineiras da pressão arterial nos permite diagnosticar a hipertensão e prevenir a doença cardiovascular.

Atualmente, recomenda-se medir a pressão arterial a partir dos 3 anos de idade nas consultas pediátricas de rotina e nos atendimentos de emergência. Em caso de recém-nascidos em UTI neonatal, portadores de cardiopatias congênitas, malformações do trato urinário ou anormalidades do exame de urina ou situações com aumento da pressão intracraniana, a medida da pressão arterial deve ser realizada de forma precoce.

As crianças que apresentam infecção urinária, doenças renais prévias, distúrbios do sono, sobrepeso e obesidade apresentam maior risco de desenvolverem hipertensão arterial. Deve-se também ficar atenta a história familiar de hipertensão arterial, doença cardiovascular, doença renal crônica e obesidade.

Uma vez identificada hipertensão arterial na criança, uma avaliação rigorosa deve ser realizada para tentar identificar a cauda da hipertensão. O exame chamado MAPA (medida ambulatorial da pressão arterial) permite confirmar a hipertensão arterial e avaliar eficácia terapêutica.

feito com